Follow by Email

9 de agosto de 2016

MORTE - Veja repercussão da morte do cirurgião plástico Ivo Pitanguy

Ivo Pitanguy (Foto: Reprodução/Globo)Cirurgião plástico faleceu em casa no Rio de Janeiro, no fim da tarde.
Médico tinha 90 anos e carregou a tocha olímpica na sexta (5).


Famosos, políticos e entidades como a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e a  Academia Brasileira de Letras (ABL) lamentaram a morte do cirurgião plástico Ivo Pitanguy, aos 93 anos, neste sábado (6). Ele sofreu uma parada cardíaca quando estava em casa, segundo informações de sua assessoria. O funeral está previsto para este domingo (7) no Memorial do Carmo.
No dia anterior, em uma cadeira de rodas, o Pitanguy empunhou a tocha olímpica na Gávea, Zona Sul do Rio, bairro onde está localizada sua clínica de cirurgia plástica.
Pitanguy deixou mulher, quatro filhos e cinco netos.

Mineiro, nascido em Belo Horizonte, Ivo Hélcio Jardim de Campos Pitanguy é reconhecido mundialmente como uma das maiores autoridades em cirurgia plástica. Além da carreira médica, se destacou também como escritor. Ele foi eleito imortal pela Academia Brasileira de Letras em 11 de outubro de 1990 e ocupava a cadeira 22, cujo patrono é José Bonifácio.
Michel Temer - presidente em exercício
O Brasil perde um de seus mais renomados cientistas e intelectuais. Ivo Pitanguy dedicou a vida a ajudar as pessoas a viverem melhor. É, também, autor de um importante trabalho social que privilegia o atendimento aos mais necessitados. Fará muita falta.

Fernando Pimentel - governador de Minas Gerais
Com profundo pesar soube do falecimento, na tarde deste sábado, do mineiro Ivo Pitanguy. Cirurgião plástico com reconhecimento internacional, escritor, membro da Academia Nacional de Medicina e da Academia Brasileira de Letras, Pitanguy iniciou sua formação acadêmica na UFMG, em Belo Horizonte, sua cidade natal.

Responsável por formar gerações de profissionais de saúde, no Brasil e no exterior, Pitanguy sempre conciliou o saber acadêmico com uma profunda sensibilidade social.
Aos familiares, manifesto minha solidariedade neste momento.
Geraldo Alckmin - governador de São Paulo
Pesar pelo falecimento do Ivo Pitanguy, médico brilhante que formou gerações de cirurgiões plásticos. Minhas orações e sentimentos à família.

Ataídes Oliveira - senador
Ivo Pitanguy deixa um legado sem igual, nāo apenas como cirurgião notável, reconhecido mundialmente, mas como grande humanista que foi.

Benedita da Silva - deputada federal
Nosso adeus! ao grande cirurgião,Ivo Pitanguy.Seu amor à arte fez com que esculpisse com detalhes e primazia o mágico poder do bisturi.

Hildegard Angel - jornalista, filha da estilista Zuzu Angel
Irreparável, faltam-me palavras, sobra-me tristeza. Perdi grande amigo

José Agripino - senador
Sentido com a morte de Ivo Pintanguy. Mais do que o admirável cirurgião, mais do que o impecável intelectual.  O Brasil perde hoje uma personalidade que o mundo inteiro aprendeu a reverenciar

Leda Nagle - escritora e apresentadora
Muito triste! Brilhante mineiro

Leilane Neubarth ‏- jornalista
Ivo Pitanguy, referência internacional em cirurgia plástica e com um trabalho voluntário lindo na Santa Casa. Ele tinha trabalho social lindo na Santa Casa do Rio de Janeiro. Operava de graça quem não podia pagar por uma cirurgia plástica.

Luiz Penido -  locutor esportivo
Descanse em paz!

Paulo Coelho - escritor
Meu Deus! Foi uma das pessoas mais extraordinárias que conheci!

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plática
NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO PROFESSOR IVO PITANGUY

Professor Ivo Pitanguy, ícone mundial da cirurgia plástica, partiu...

Somos gratos ao professor Pitanguy, mestre de todos nós, especialistas brasileiros e internacionais, pela sua sabedoria, coragem em inovar e generosidade em compartilhar, conhecimentos e técnicas.

Tivemos a oportunidade de externar nossa gratidão em maio, quando inauguramos o primeiro museu da história da cirurgia plástica no Brasil e no mundo, com seu nome. Assim sua trajetória e ensinamentos ficam perpetuados para futuras gerações de cirurgiões plásticos e públicos em geral, que infelizmente não poderão conhecê-lo pessoalmente e nem desfrutar de sua sabedoria.

E a nós, cirurgiões plásticos brasileiros, que tivemos este grande privilégio de convívio, restará para sempre a lembrança e a saudade.

O legado do patrono da sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica permanecerá vivo com a intensidade e energia de seus exemplos.

Nossas sinceras condolências à família do professor Pitanguy.

A família da Cirurgia Plástica Brasileira.

Luciano Chaves
Presidente da Presidente da Presidente da SBCP

Academia Brasileira de Letras
ABL exalta a presença sempre participativa na vida acadêmica de Ivo Pitanguy, morto ontem, aos 90 anos, no Rio de Janeiro

O Presidente da ABL, Acadêmico e professor Domício Proença Filho, em missão oficial nos Estados Unidos, ao ser informado do falecimento, determinou que seja cumprido luto de três dias e que a bandeira da Academia fosse hasteada a meio mastro  e afirmou: "Ivo Pitanguy era uma presença brasileira em todo o mundo, um amigo fraterno, um acadêmico sempre participativo na ABL, uma raríssima figura humana, aberta plenamente à doação dos seus saberes e de sua alta competência."
A Secretária-Geral, Acadêmica e escritora Nélida Piñon, garantiu que “A trajetória de Ivo Pitanguy comove o Brasil. Embora sob o domínio humano, como todos nós, seus feitos transcendem. Constituem uma narrativa que abrange a vida de um brasileiro, cujas ações superam o comum dos mortais”.
O Acadêmico e cirurgião plástico Ivo Pitanguy, um dos mais reverenciados no Brasil e no mundo, quarto ocupante da Cadeira 22 da Academia Brasileira de Letras, morreu ontem, dia 6 de agosto, sábado, em sua casa, na Gávea, às 17:30h, de infarto do miocárdio e insuficiência respiratória. O corpo será velado no Memorial do Carmo, a partir das 13 horas de hoje, domingo, dia 7 de agosto, e, às 18 horas, cremado. Recentemente, o Acadêmico manifestou o desejo de que as cinzas sejam levadas para sua ilha, na Baía de Angra dos Reis, Estado do Rio de Janeiro.
O Patrono da cadeira 22 da ABL é José Bonifácio. O primeiro ocupante e fundador foi Medeiros e Albuquerque, seguido de Miguel Osório de Almeida e Luís Viana Filho, a quem Pitanguy sucedeu.
Em seu discurso de posse na ABL, o Acadêmico, eleito em 11 de outubro de 1990 e recebido em 24 de setembro de 1991 por seu confrade Carlos Chagas Filho, declarou:  “Picasso dizia que há dois tipos de artista: ‘Aquele que faz do sol uma simples mancha amarela, e o que de uma simples mancha amarela faz o sol’. Creio que escritor é quem transforma manchas amarelas em sóis: tanto é iluminado quanto ilumina. Tem luz própria. O escritor sabe, como Shakespeare, que palavras sem pensamento não vão para o céu – não alçam voo. Deve, então, haver uma intimidade entre o pensamento e a palavra, de tal maneira que esta, plena da força do pensar, possa se fazer bela e acordar os homens, o mundo. O escritor é capaz disto: através da palavra, possibilitar o acesso ao belo da vida, à beleza essencial que habita o coração de todos os seres, de todas as formas. A beleza é uma forma de verdade ou será a própria verdade? Julgo só ser possível atingir a verdade a partir do belo.
Pitanguy deixa viúva a senhora Marilu Nascimento, com quem casou-se em 1955, cinco filhos, Ivo, Gisela, Helcius e Bernardo, e cinco netos. Ele nasceu em Belo Horizonte, no dia 5 de julho de 1926. Filho de Maria Stäel Jardim de Campos Pitanguy e de Antonio de Campos Pitanguy, médico cirurgião. Iniciou sua formação profissional ingressando na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais e formando-se pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1946. Este aprendizado prolongou-se por mais de 10 anos, através de estágios e cursos realizados nos EUA e na Europa, já aliando a prática médica ao exercício do ensino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário